Você me traz sorte, meu amor!

Estamos terminando o mês de agosto em clima de gratidão pelo fato dos gatos do Bicho no Parque terem tanta sorte de terem madrinhas e padrinhos generosos e que mensalmente vêm contribuindo com as despesas de seus afilhados. O programa de apadrinhamento tem sido essencial para a sustentabilidade de nossas ações no parque! Lembramos que todas as doações recebidas são destinadas à alimentação, cuidados veterinários e bem-estar dos gatinhos.

E por falar em sorte, resolvemos postar hoje a foto de dois pretinhos que fazem parte dessa amada turma do Bicho no Parque. Como cantaria Caetano Veloso, “você me traz sorte, meu amor!”

Salem: “Muito obrigado a todos que contribuem para que tenhamos a sorte de sermos amados!” ❤

 

Zidane em campo: “Tenho nome de jogador de futebol, porque dou cabeçadas nos tios do BNP para ganhar mais carinho! E hoje tenho a sorte de ter madrinhas e padrinhos, é muito amor!”

Anúncios

Pet na Pan: ouça a entrevista sobre o Bicho no Parque na rádio Jovem Pan

Alexandre Rossi (Foto: Joven Pan)

No mês passado, a voluntária Mayena Buckup deu uma entrevista para o apresentador Alexandre Rossi durante o programa Pet na Pan da rádio Joven Pan. Na ocasião, Mayena contou como surgiu o projeto Bicho no Parque, como funciona nosso trabalho e inúmeras outras curiosidades sobre os gatos. A entrevista começa a partir dos 15’45″(15 minutos e 45 segundos) do programa. Vale a pena conferir!

http://jovempan.uol.com.br/arquivo/pet-na-pan-edicao-de-25062017.html

Mayena Buckup, voluntária do Bicho no Parque


O inverno chegou: amor e cuidados especiais no frio e na chuva


Fazer um passeio no parque em um lindo e tranquilo dia de sol é tudo de bom. Mas e nos dias e noites de frio, chuva e lama? E agora que o inverno chegou? Enquanto a maioria das pessoas corre para ficar aquecida e confortável em casa, nossos voluntários desafiam a correria da vida, frio, chuva e lama para aquecer os gatos do Bicho no Parque com amor, cuidados, casinhas e cobertores.

Nossos voluntários têm sido incansáveis na tarefa de proporcionar um lar mais aconchegante aos nossos peludos na natureza. Durante muitos anos, nós colocávamos casinhas para os gatos e elas eram retiradas pela administração do parque. Porém, a situação finalmente mudou para melhor!

“Graças a muita conversa e conscientização, elas nunca mais foram retiradas. E o melhor, agora o pessoal da limpeza, administração e segurança ainda zelam pelas mesmas. Hoje há quase 80 casinhas espalhadas pelo parque. Isto é realmente uma vitória”, comemora a voluntária Ana Elisa Almeida (que, inclusive, fez as fotos e vídeos que ilustram este post).

É reconfortante saber que mesmo morando no parque, os animais hoje têm onde se aninhar e se proteger do frio. Faz bem ao coração saber que, graças à união e à força do grupo de voluntários, os gatos vão dormir quentinhos, de barriguinha cheia e hidratados.

Sozinhos não conseguimos mudar o mundo, mas juntos conseguimos fazer a diferença e dar nosso exemplo de altruísmo e generosidade. E assim vamos adiante, amando os animais – faça chuva, faça sol, frio ou calor! ❤

E aproveitamos mais uma vez para agradecer às madrinhas e aos padrinhos dos gatos do Bicho no Parque! Estamos cuidando dos seus afilhados com muito carinho!


Agradecimento especial às madrinhas e aos padrinhos dos gatos!

A famosa Madalena depois de um delicioso café da manhã (foto da voluntária Ana Elisa)

Gratidão, ah, como é importante sermos gratos! 🙂 Hoje queremos agradecer imensamente a cada uma das madrinhas e cada um dos padrinhos dos gatos atendidos pelo Bicho no Parque!

Há poucos meses, lançamos um programa de apadrinhamento através do qual a pessoa ajuda um gatinho com uma doação mensal a partir de R$ 10. A iniciativa tem ajudado a custear as despesas de alimentação e demais cuidados dos nossos peludos!

Em nome de todos os voluntários e gatos do projeto, muito obrigado por fazerem a diferença na vida de seus afilhados! ❤

Visita de Padrinhos

Ficamos tão felizes que, além da doação mensal, os gatos têm recebido amor e mimos de alguns padrinhos que nos procuraram para conhecer os bigodes pessoalmente! Recentemente, a madrinha Maria Cristina Godoy e seu marido, por exemplo, foram ao parque conhecer os afilhados Balotelli, Madalena, Peter, Zidane e Lola e ficaram encantados com o trabalho do Bicho no Parque. Desde então, eles têm ido visitar os gatos e nos mandaram este depoimento e estas fotos:

Depois de ser mimada pelos padrinhos, Madalena dá um cochilo (foto da madrinha Maria Cristina Godoy)

“No ano passado, tomei conhecimento pela internet da iniciativa Bicho no Parque, que cuida de gatos que vivem em um dos parques de São Paulo. Os voluntários alimentam os animais no local e proporcionam cuidados médicos, inclusive esterilização. Fiquei muito interessada e em dezembro de 2016 comecei a contribuir, apadrinhando cinco lindos gatinhos (Madalena, Balotelli, Peter, Lola e Zidane).

Cada voluntário se ocupa dos bichos em um determinado horário (manhã ou tarde), todos os dias da semana, o ano todo, faça chuva ou faça sol. Quando fui visitar meus afilhados, conheci a Mayena, uma das voluntárias, e é impressionante ver como os gatos a conhecem e se aproximam para receber a comida! Todos os gatos que vi (há cerca de 100 espalhados pelo parque) estão muito bem alimentados e tratados. Alguns são mais dóceis, como a Madalena, uma “siamesa” de olhos azuis, e adoram agrados. Outros são mais esquivos e desconfiados, só ficam olhando de longe.

É um trabalho magnífico, que exige muita dedicação e procura preservar os animais sem tirá-los do lugar onde estão acostumados. A esterilização também é importantíssima para impedir o aumento da população. O valor da contribuição fica a cargo do padrinho, a partir de R$ 10,00 por mês, mas deve-se ter em mente que a associação vive exclusivamente dessas doações para cuidar dos bichinhos.”

Peter, de barriguinha cheia: “agora eu só quero fazer um soninho gostoso!” (foto da madrinha Maria Cristina Godoy)

Convidamos todas as madrinhas e padrinhos a conhecerem seus afilhados em um passeio muito especial. Temos certeza que vocês vão adorar! Entre em contato com a gente!

Mais uma vez, obrigado, madrinhas e padrinhos! Juntos somos fortes e fazemos a diferença! ❤

Ainda não participa do programa de apadrinhamento?

Ter um afilhado peludo é tudo de bom! No link abaixo, há as informações, com fotos e formulário de cadastro! Participe!

>> Seja madrinha ou padrinho de um gatinho do Bicho no Parque


Seja um voluntário do Bicho no Parque!

Hora da comida, eba!

Os tios do Bicho no Parque cuidam da gente todos os dias – faça chuva, faça sol, frio ou calor!

Sabe aquele seu desejo de ajudar os bichos? No Bicho no Parque, nós SEMPRE precisamos de novos voluntários sérios e comprometidos para reforçar o time!

O sucesso do nosso projeto só é possível com a força do grupo! Ser voluntário exige tempo, responsabilidade e energia para doar-se por puro amor. A vida dos gatos depende totalmente do empenho de cada voluntário, afinal todos os dias eles precisam de alimentação, água e cuidados.

xx

Eu moro neste bambuzal com uma turma de muitos outros gatinhos!

A parte mais gratificante do trabalho voluntário no Bicho no Parque é o amor que damos e recebemos dos animais – algo mágico acontece nesta troca de carinho tão especial. Porém, há um lado muito trabalhoso e é aí que achamos essencial você refletir seriamente antes de querer assumir o compromisso.

Puro amor!

Fazendo charme para os tios do Bicho no Parque! 

O Bicho no Parque atua diariamente em um parque na zona sul de São Paulo, alimentando e monitorando os gatos que lá vivem. O trabalho consiste em ir ao parque uma vez por semana, à noite, para fazer a ronda e alimentar aproximadamente 120 gatos. O trabalho demora cerca de 3 horas, mas também é possível dividir o parque com outro(s) voluntário(s), deixando o percurso e o trabalho mais leves.
Os tios

Vem conhecer a gente!

Como não recebemos doações suficientes para custear a ração diária para o mês inteiro, parte da ração utilizada é custeada pelo próprio voluntário. Essa ração é comprada diretamente da fábrica e o pacote de 10 kg custa por volta de R$ 45 para cada voluntário, já computada a ajuda de doações que recebemos e que varia de mês a mês. A cada noite, usamos 8kg de ração por ronda completa (porém, para fazer 1/3 do parque ou 1/2, demanda-se normalmente 3 a 4 kg, respectivamente).

Madalena:

Eu tomo conta do carro dos tios do Bicho no Parque. Assim sempre ganho mais um carinho antes de eles irem embora. 

Os voluntários costumam ir por volta das 19-20h (não adianta ir muito cedo, porque os gatos não aparecem), porém há quem vá um pouco mais cedo (no final da tarde) ou bem mais tarde à noite. Também é possível ajudar no período da manhã (por volta das 7h), reforçando os cuidados diários. O importante é que o compromisso assumido (seja ele semanal, quinzenal ou mensal) seja levado muito a sério, pois os gatos precisam ser alimentados diariamente.

Para agendar uma visita e conhecer nosso trabalho, preencha o formulário a seguir.  Teremos o maior prazer em apresentar os gatos para você!

 

20161222_192640_resized


Mensagem de fim de ano!

image

Gatão: “Em nome de toda turminha do Bicho no Parque, recebam nosso carinho!”

Queridos amigos,

Cultivar ideais em comum, transformá-los em realidade e construir um mundo melhor é possível quando nos unimos em prol de algo maior, expressando nossas ações em gestos de amor.

Amar é possível quando caminhamos juntos e exercitamos esta capacidade no convívio e na confiança que nasce entre as pessoas que desejam ver seu próximo crescer, se desenvolver, florescer…

Neste clima de amor e gratidão, agradecemos aos amigos generosos que caminham conosco nesta estrada, incentivando-nos a prosseguir com o coração revigorado pelo apoio de cada um!

Que tenham um natal de paz e harmonia e que 2017 renove nossa esperança, trazendo alegrias e realizações!

Em nome de toda turminha do Bicho no Parque, recebam nosso carinho.

Muito amor para vocês!

Gatão
(Em nome de toda a turma do Bicho no Parque)

 


Campanha de Adoção: Estrelinha, uma senhora com muita história pra contar

 

Estrelinha

“Ouvi as tias do Bicho no Parque dizerem que me resgataram de uma acumuladora… Não entendi direito, mas sei que preciso agora encontrar um lar muito especial!”

Olá! Sou a Estrelinha, uma senhora que tem muito a contar.

Não sei bem como foi o início de tudo, mas quando me dei conta já morava no parque. Que lugar lindo! Uns tios iam lá me levar ração, fazer um cafuné, e eu levava a vida que queria. Não que eu não tenha passado por perrengues, mas era feliz. E foi assim por mais de dez anos, até que, não sei por quê, uma mulher me pegou, me enfiou numa caixa e me levou pra um apartamento e que fase triste se iniciou…

O lugar era pequeno e cheio de bicho, uns cachorros não paravam de latir pra mim, e eu nem tinha feito nada! Juro!

Mas esperta que sou, arrumei um esconderijo embaixo de uma mesinha e foi lá que fiquei escondida por um ano. Um ano!!! (…) Fiquei estressada, triste, emagreci, adoeci, quase virei “estrelinha” de verdade.

Mas vocês acreditam que duas tias que iam me visitar lá no parque descobriram onde eu estava e foram me salvar? Oh, mulheres corajosas! Elas me tiraram de lá! Aí tudo voltou a melhorar, recebi tratamento e hoje minha saúde está ótima, já voltei a ser a gorducha carinhosa de sempre. Ouvi os tios dizerem que não posso voltar para o parque porque a “acumuladora” (o que é isso, hein?) vai me pegar de novo. Eu preciso ser adotada.

Sou um pouco temperamental… Não… Diria que sou uma gata de personalidade! Meio alfa, sabe? Sei que seria muito feliz se fosse filha única ou se morasse num lugar grande no qual pudesse escolher um canto pra dominar. Será que consigo alguém pra me dar um restinho de vida feliz?

(Texto escrito pela voluntária Renata Del Nero)