O inverno chegou: amor e cuidados especiais no frio e na chuva


Fazer um passeio no parque em um lindo e tranquilo dia de sol é tudo de bom. Mas e nos dias e noites de frio, chuva e lama? E agora que o inverno chegou? Enquanto a maioria das pessoas corre para ficar aquecida e confortável em casa, nossos voluntários desafiam a correria da vida, frio, chuva e lama para aquecer os gatos do Bicho no Parque com amor, cuidados, casinhas e cobertores.

Nossos voluntários têm sido incansáveis na tarefa de proporcionar um lar mais aconchegante aos nossos peludos na natureza. Durante muitos anos, nós colocávamos casinhas para os gatos e elas eram retiradas pela administração do parque. Porém, a situação finalmente mudou para melhor!

“Graças a muita conversa e conscientização, elas nunca mais foram retiradas. E o melhor, agora o pessoal da limpeza, administração e segurança ainda zelam pelas mesmas. Hoje há quase 80 casinhas espalhadas pelo parque. Isto é realmente uma vitória”, comemora a voluntária Ana Elisa Almeida (que, inclusive, fez as fotos e vídeos que ilustram este post).

É reconfortante saber que mesmo morando no parque, os animais hoje têm onde se aninhar e se proteger do frio. Faz bem ao coração saber que, graças à união e à força do grupo de voluntários, os gatos vão dormir quentinhos, de barriguinha cheia e hidratados.

Sozinhos não conseguimos mudar o mundo, mas juntos conseguimos fazer a diferença e dar nosso exemplo de altruísmo e generosidade. E assim vamos adiante, amando os animais – faça chuva, faça sol, frio ou calor! ❤

E aproveitamos mais uma vez para agradecer às madrinhas e aos padrinhos dos gatos do Bicho no Parque! Estamos cuidando dos seus afilhados com muito carinho!


Agradecimento especial às madrinhas e aos padrinhos dos gatos!

A famosa Madalena depois de um delicioso café da manhã (foto da voluntária Ana Elisa)

Gratidão, ah, como é importante sermos gratos! 🙂 Hoje queremos agradecer imensamente a cada uma das madrinhas e cada um dos padrinhos dos gatos atendidos pelo Bicho no Parque!

Há poucos meses, lançamos um programa de apadrinhamento através do qual a pessoa ajuda um gatinho com uma doação mensal a partir de R$ 10. A iniciativa tem ajudado a custear as despesas de alimentação e demais cuidados dos nossos peludos!

Em nome de todos os voluntários e gatos do projeto, muito obrigado por fazerem a diferença na vida de seus afilhados! ❤

Visita de Padrinhos

Ficamos tão felizes que, além da doação mensal, os gatos têm recebido amor e mimos de alguns padrinhos que nos procuraram para conhecer os bigodes pessoalmente! Recentemente, a madrinha Maria Cristina Godoy e seu marido, por exemplo, foram ao parque conhecer os afilhados Balotelli, Madalena, Peter, Zidane e Lola e ficaram encantados com o trabalho do Bicho no Parque. Desde então, eles têm ido visitar os gatos e nos mandaram este depoimento e estas fotos:

Depois de ser mimada pelos padrinhos, Madalena dá um cochilo (foto da madrinha Maria Cristina Godoy)

“No ano passado, tomei conhecimento pela internet da iniciativa Bicho no Parque, que cuida de gatos que vivem em um dos parques de São Paulo. Os voluntários alimentam os animais no local e proporcionam cuidados médicos, inclusive esterilização. Fiquei muito interessada e em dezembro de 2016 comecei a contribuir, apadrinhando cinco lindos gatinhos (Madalena, Balotelli, Peter, Lola e Zidane).

Cada voluntário se ocupa dos bichos em um determinado horário (manhã ou tarde), todos os dias da semana, o ano todo, faça chuva ou faça sol. Quando fui visitar meus afilhados, conheci a Mayena, uma das voluntárias, e é impressionante ver como os gatos a conhecem e se aproximam para receber a comida! Todos os gatos que vi (há cerca de 100 espalhados pelo parque) estão muito bem alimentados e tratados. Alguns são mais dóceis, como a Madalena, uma “siamesa” de olhos azuis, e adoram agrados. Outros são mais esquivos e desconfiados, só ficam olhando de longe.

É um trabalho magnífico, que exige muita dedicação e procura preservar os animais sem tirá-los do lugar onde estão acostumados. A esterilização também é importantíssima para impedir o aumento da população. O valor da contribuição fica a cargo do padrinho, a partir de R$ 10,00 por mês, mas deve-se ter em mente que a associação vive exclusivamente dessas doações para cuidar dos bichinhos.”

Peter, de barriguinha cheia: “agora eu só quero fazer um soninho gostoso!” (foto da madrinha Maria Cristina Godoy)

Convidamos todas as madrinhas e padrinhos a conhecerem seus afilhados em um passeio muito especial. Temos certeza que vocês vão adorar! Entre em contato com a gente!

Mais uma vez, obrigado, madrinhas e padrinhos! Juntos somos fortes e fazemos a diferença! ❤

Ainda não participa do programa de apadrinhamento?

Ter um afilhado peludo é tudo de bom! No link abaixo, há as informações, com fotos e formulário de cadastro! Participe!

>> Seja madrinha ou padrinho de um gatinho do Bicho no Parque


Campanha de Adoção: Estrelinha, uma senhora com muita história pra contar

 

Estrelinha

“Ouvi as tias do Bicho no Parque dizerem que me resgataram de uma acumuladora… Não entendi direito, mas sei que preciso agora encontrar um lar muito especial!”

Olá! Sou a Estrelinha, uma senhora que tem muito a contar.

Não sei bem como foi o início de tudo, mas quando me dei conta já morava no parque. Que lugar lindo! Uns tios iam lá me levar ração, fazer um cafuné, e eu levava a vida que queria. Não que eu não tenha passado por perrengues, mas era feliz. E foi assim por mais de dez anos, até que, não sei por quê, uma mulher me pegou, me enfiou numa caixa e me levou pra um apartamento e que fase triste se iniciou…

O lugar era pequeno e cheio de bicho, uns cachorros não paravam de latir pra mim, e eu nem tinha feito nada! Juro!

Mas esperta que sou, arrumei um esconderijo embaixo de uma mesinha e foi lá que fiquei escondida por um ano. Um ano!!! (…) Fiquei estressada, triste, emagreci, adoeci, quase virei “estrelinha” de verdade.

Mas vocês acreditam que duas tias que iam me visitar lá no parque descobriram onde eu estava e foram me salvar? Oh, mulheres corajosas! Elas me tiraram de lá! Aí tudo voltou a melhorar, recebi tratamento e hoje minha saúde está ótima, já voltei a ser a gorducha carinhosa de sempre. Ouvi os tios dizerem que não posso voltar para o parque porque a “acumuladora” (o que é isso, hein?) vai me pegar de novo. Eu preciso ser adotada.

Sou um pouco temperamental… Não… Diria que sou uma gata de personalidade! Meio alfa, sabe? Sei que seria muito feliz se fosse filha única ou se morasse num lugar grande no qual pudesse escolher um canto pra dominar. Será que consigo alguém pra me dar um restinho de vida feliz?

(Texto escrito pela voluntária Renata Del Nero)


Campanha de Adoção: um lar para Sir William de Alcântara Machado

Este slideshow necessita de JavaScript.

Amigos, precisamos da ajuda de vocês para acharmos uma adoção muito especial para o amado Sir William de Alcântara Machado (errata: havia divulgado “Câmara” em vez do correto “Alcântara”). Nosso aristocrático gatão vive no parque há anos e sempre foi  feliz com sua turminha. Porém, recentemente, ele teve um problema na articulação em uma das patas e ficou manco. 😦 Desde então, passamos a temer pela segurança e vida do Sir, pois ele não tem mais agilidade para correr e fugir de situações de perigo.

Na região onde ele vive, há muitas pessoas que andam com skate e bicicleta em alta velocidade e, para piorar, há sempre aquelas pessoas que soltam seus cães (muitas vezes, de grande porte) que se enveredam pelas moitas, tentando caçar os gatos.

Sir havia ficado mais de uma semana desaparecido até o dia em que uma voluntária o encontrou ferido e o levou ao veterinário. Lá ficamos sabendo que ele teve luxação na articulação da pata esquerda. Segundo o veterinário, este tipo de lesão ocorre por impacto, ou seja, ele pode ter caído ou pulado de algum local alto, ou então foi atropelado. Na ocasião, foi medicado e recebeu os cuidados durante vários dias na casa da voluntária Najla. Agora ele voltou para o parque e fizemos esta campanha para ajudá-lo a encontrar um lar.

Sir é um sonho de gato: lindo, fofo, carinhoso, amável, sociável, adora ganhar carinho na barriga e se dá bem com outros gatos e até com cachorros mansos, como pudemos comprovar nos períodos em que ficou em lar temporário na casa da voluntária Najla. Queremos avaliar a melhor adoção para nosso frajola (seja casa ou apartamento). Analisaremos os possíveis adotantes para que o Sir tenha o melhor destino e seja muito feliz.

Contamos com sua ajuda na divulgação deste caso! Garantimos que ao ver este gato ao vivo simplesmente não tem como não se apaixonar! ❤

Para informações, entre em contato com Aleksandra pelo email: alek@gatacine.com.br


Notícias dos gatinhos em tratamento

Tirica está bem melhor e se recupera na casa da voluntária Renata

Tirica está bem melhor e se recupera na casa da voluntária Renata

Oi, amigos. Viemos dar notícias do gatinho Tirica que, como mostramos no último post, teve um problema sério de bicheira, mas já está fora de perigo e segue em tratamento na casa da voluntária Renata:

“O Tirica está evoluindo muito bem. A veterinária hoje ficou impressionada como a ferida está fechando. Ele ganhou 250 gramas e o pelo melhorou um tantinho. Está cada dia mais carinhoso, ele é muito bonzinho e amado”, relatou Renata.

Pantera é outro gato que também teve sérios problemas com bicheira em sua pata. Ele recebeu tratamento e vem se recuperando na casa da voluntária Ana Paula.

20150305_015037_resized

Pantera estava com a pata sendo comida por larvas

Depois de uma série de exames, o raio X comprovou que os ossos e tecidos moles de Pantera felizmente estavam preservados. Desde então, tem tomado medicamento (Convenia), além de tratamento local com curativo (pomada antibacteriana + enfaixamento) diário e retorno ao veterinário a cada cinco dias para avaliação e novas orientações. Paralelamente, também recebeu tratamento com colírio de Tobramicina por 10 dias devido à conjuntivite.

A veterinária retirou diversas larvas da pata de Pantera

Ferimento após a retirada das larvas

Pantera é outro gato que teve problemas de saúde

Pantera se recupera agora na casa da voluntária Ana Paula, antes de retornar ao parque

Ajuda financeira

Como vocês podem imaginar, nossos gastos com veterinários nesta temporada têm sido muito altos. Apesar de recebermos mensagens de pessoas querendo nos ajudar, poucas de fato ajudam e o valor mensal das doações ainda é muito baixo perto de todas nossas despesas. O total não é suficiente, por exemplo, para a compra de ração (são 300 quilos por mês). Assim, os voluntários – além de dedicarem seu tempo semanalmente – também precisam arcar com despesas financeiras do próprio bolso para comprar a ração. Como as despesas sobem muito quando um gato fica doente (e neste mês foram dois animais), faremos uma campanha para recompor nosso caixa.

Se você puder contribuir com qualquer valor (mesmo!), por favor, entre em contato com a voluntária Mayena pelo email bichonoparque2013@gmail.com, solicitando os dados bancários. Toda ajuda é muito bem-vinda e 100% dos recursos é destinado aos gatos atendidos pelo nosso projeto.

Em breve, também teremos novidades sobre rifas. Acompanhe nosso projeto!


Adotado depois de idoso, Lindinho manda notícias

Lindinho, que agora se chama "Chambinho", se adaptou muito bem e curte agora a aposentadoria com muito amor!

Lindinho, que agora se chama “Chambinho”, se adaptou muito bem a sua nova casa e curte agora a aposentadoria com muito amor e aconchego!

Nesta semana, recebemos notícias do Lindinho – que agora se chama “Chambinho”. Após viver uma longa vida sozinho em um ponto do parque, nosso idoso querido foi adotado pela Alessandra que tem cuidado dele com muito amor. Segundo ela, Chambinho é um grande companheiro e só dorme na cama dela. Ela diz que sem ele, sua vida seria vazia.

Sabemos que a maioria das pessoas interessadas em adotar um felino prefere os filhotes. Mas dar uma oportunidade a gatos adultos, idosos ou com algum tipo de deficiência é um gesto de amor que transforma o destino desses bichinhos (e do adotante) que também merecem uma vida tranquila, feliz e aconchegante.

Pense nisso na hora de adotar! 😉


SOS Vet: ajude no tratamento do gato Tirica

Meu nome é Tirica

Sofri muito, mas agora depois do tratamento estou bem melhor!

Oi, amigos. Meu nome é Tirica e vivo em uma das muitas colônias de gatos ferais atendidos pelo Bicho no Parque. As tias acham que eu levei uma mordida de saruê (um tipo de gambá que também vive no parque) e, desde então, fiquei com um ferimento feio.

20150211_173937

Foi assim que o problema começou

As voluntárias passavam remédio em mim todo dia, mas eu fiquei desconfiado e nem sempre aparecia quando elas me chamavam e fugia quando elas tentavam me pegar. Não sei bem o motivo, mas minha ferida piorou muito mesmo, ficou cheia de bichinhos. Quando a tia Natalie viu, ligou pra tia Renata pedindo socorro. Vocês não imaginam que dor horrível é essa! Estava tão assustado sem entender o que estava acontecendo comigo e fugia sem parar. Mas elas conseguiram me pegar finalmente nesse dia e me levaram para a clínica veterinária.

Recendo cuidados

E assim vim parar aqui

Lá fui muito bem cuidado pela Doutora Tati. Cheguei a tomar até morfina para aliviar minha dor. As tias ficaram quase duas horas para tirar todos aqueles bichinhos na ferida e fazendo a limpeza do local.

Tirando os bichinhos

Esses bichinhos (no copo) estavam me comendo vivo

Fiz um monte de exames, tomei remédios por causa da infecção e, ufa, comecei a me sentir melhor. Fiquei muito feliz, quando outras tias do projeto foram me visitar.

Depois de tanta dor, é tão bom ganhar carinho

Tão bom ganhar carinho!

No dia 24 de fevereiro, tive alta para continuar o tratamento na casa de um dos voluntários e a tia Renata me levou pra casa dela. O ferimento já tinha melhorado muito, mas como estava ainda debilitado, tive rinotraqueíte, mas estou em tratamento e logo mais estarei forte de novo.

Puxa, não vejo a hora de ficar bom pra poder voltar a viver com minha turminha no parque – ou quem sabe encontrar um adotante que goste de mim. Dizem que eu sou um amor. 😉

Ah! Meu tratamento ficou caro. Se você puder ajudar doando qualquer quantia (mesmo!), vou ficar muito feliz e grato! Escreva para bichonoparque2013@gmail.com e a tia Mayena passará os dados bancários. 😉