SOS VET: novas rifas para ajudar os gatinhos doentes do Bicho no Parque

Olá, amigos, quanto tempo que não nos “vemos” por aqui! Na verdade, começamos 2016 com muito trabalho… Para vocês terem ideia, entre o final do ano e o Carnaval, infelizmente aconteceram 16 abandonos – desde bebês recém-nascidos até mãe com filhotes e adolescentes. Como se não bastasse, alguns gatos que vivem no parque ficaram doentes e tivemos que correr com seis deles para o veterinário:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Graças aos esforços dos voluntários do  Bicho no Parque, todos já tiveram alta e voltaram para o parque, exceto o Sir Willian – que está melhor, mas segue tratamento na casa da voluntária Najla.

Com tudo isto, nossas despesas aumentaram demais e criamos duas rifas para levantarmos fundos para custear os gastos com estes peludos. Desta vez, teremos dois prêmios: um será uma parafusadeira elétrica e a outra, uma caminha super especial que se acopla ao vidro da janela, assim seu gato relaxa, enquanto se distrai com a vista. Veja abaixo instruções para adquirir a(s) rifa(s):

Parafusadeira Mondial

Parafusadeira Mondial

Como comprar a rifa?

  1. Cada número da rifa custa R$ 10. Escolha a quantidade de números que você deseja comprar e faça o depósito na conta da voluntária Mayena Buckup:
    Itaú
    Ag 0390
    CC 01484-3
    CPF 060.111.118-40
    OBS: O projeto Bicho no Parque não possui conta bancária exclusiva, assim usamos as contas dos próprios voluntários.
  2. Envie o comprovante do depósito para a Mayena pelo e-mail bichonoparque2013@gmail.com, informando qual rifa você quer adquirir (da parafusadeira, caminha ou ambas) e o(s) número(s) de sua preferência de 00 a 99.
  3. O vencedor será definido pela dezena do primeiro lugar da Loteria Federal, assim que todos os números da rifa em questão forem vendidos.

Toda ajuda é muito bem-vinda! Ao adquirir um número da rifa, você ajuda os gatos atendidos por nosso projeto e colabora com o Bicho no Parque para que possamos prosseguir com nosso trabalho! Os gatinhos agradecem! 🙂


Notícias dos gatinhos em tratamento

Tirica está bem melhor e se recupera na casa da voluntária Renata

Tirica está bem melhor e se recupera na casa da voluntária Renata

Oi, amigos. Viemos dar notícias do gatinho Tirica que, como mostramos no último post, teve um problema sério de bicheira, mas já está fora de perigo e segue em tratamento na casa da voluntária Renata:

“O Tirica está evoluindo muito bem. A veterinária hoje ficou impressionada como a ferida está fechando. Ele ganhou 250 gramas e o pelo melhorou um tantinho. Está cada dia mais carinhoso, ele é muito bonzinho e amado”, relatou Renata.

Pantera é outro gato que também teve sérios problemas com bicheira em sua pata. Ele recebeu tratamento e vem se recuperando na casa da voluntária Ana Paula.

20150305_015037_resized

Pantera estava com a pata sendo comida por larvas

Depois de uma série de exames, o raio X comprovou que os ossos e tecidos moles de Pantera felizmente estavam preservados. Desde então, tem tomado medicamento (Convenia), além de tratamento local com curativo (pomada antibacteriana + enfaixamento) diário e retorno ao veterinário a cada cinco dias para avaliação e novas orientações. Paralelamente, também recebeu tratamento com colírio de Tobramicina por 10 dias devido à conjuntivite.

A veterinária retirou diversas larvas da pata de Pantera

Ferimento após a retirada das larvas

Pantera é outro gato que teve problemas de saúde

Pantera se recupera agora na casa da voluntária Ana Paula, antes de retornar ao parque

Ajuda financeira

Como vocês podem imaginar, nossos gastos com veterinários nesta temporada têm sido muito altos. Apesar de recebermos mensagens de pessoas querendo nos ajudar, poucas de fato ajudam e o valor mensal das doações ainda é muito baixo perto de todas nossas despesas. O total não é suficiente, por exemplo, para a compra de ração (são 300 quilos por mês). Assim, os voluntários – além de dedicarem seu tempo semanalmente – também precisam arcar com despesas financeiras do próprio bolso para comprar a ração. Como as despesas sobem muito quando um gato fica doente (e neste mês foram dois animais), faremos uma campanha para recompor nosso caixa.

Se você puder contribuir com qualquer valor (mesmo!), por favor, entre em contato com a voluntária Mayena pelo email bichonoparque2013@gmail.com, solicitando os dados bancários. Toda ajuda é muito bem-vinda e 100% dos recursos é destinado aos gatos atendidos pelo nosso projeto.

Em breve, também teremos novidades sobre rifas. Acompanhe nosso projeto!


SOS Vet: ajude no tratamento do gato Tirica

Meu nome é Tirica

Sofri muito, mas agora depois do tratamento estou bem melhor!

Oi, amigos. Meu nome é Tirica e vivo em uma das muitas colônias de gatos ferais atendidos pelo Bicho no Parque. As tias acham que eu levei uma mordida de saruê (um tipo de gambá que também vive no parque) e, desde então, fiquei com um ferimento feio.

20150211_173937

Foi assim que o problema começou

As voluntárias passavam remédio em mim todo dia, mas eu fiquei desconfiado e nem sempre aparecia quando elas me chamavam e fugia quando elas tentavam me pegar. Não sei bem o motivo, mas minha ferida piorou muito mesmo, ficou cheia de bichinhos. Quando a tia Natalie viu, ligou pra tia Renata pedindo socorro. Vocês não imaginam que dor horrível é essa! Estava tão assustado sem entender o que estava acontecendo comigo e fugia sem parar. Mas elas conseguiram me pegar finalmente nesse dia e me levaram para a clínica veterinária.

Recendo cuidados

E assim vim parar aqui

Lá fui muito bem cuidado pela Doutora Tati. Cheguei a tomar até morfina para aliviar minha dor. As tias ficaram quase duas horas para tirar todos aqueles bichinhos na ferida e fazendo a limpeza do local.

Tirando os bichinhos

Esses bichinhos (no copo) estavam me comendo vivo

Fiz um monte de exames, tomei remédios por causa da infecção e, ufa, comecei a me sentir melhor. Fiquei muito feliz, quando outras tias do projeto foram me visitar.

Depois de tanta dor, é tão bom ganhar carinho

Tão bom ganhar carinho!

No dia 24 de fevereiro, tive alta para continuar o tratamento na casa de um dos voluntários e a tia Renata me levou pra casa dela. O ferimento já tinha melhorado muito, mas como estava ainda debilitado, tive rinotraqueíte, mas estou em tratamento e logo mais estarei forte de novo.

Puxa, não vejo a hora de ficar bom pra poder voltar a viver com minha turminha no parque – ou quem sabe encontrar um adotante que goste de mim. Dizem que eu sou um amor. 😉

Ah! Meu tratamento ficou caro. Se você puder ajudar doando qualquer quantia (mesmo!), vou ficar muito feliz e grato! Escreva para bichonoparque2013@gmail.com e a tia Mayena passará os dados bancários. 😉


SOS VET: rifa para ajudar nas despesas com a Rajinha

Rajinha é um das gatas mais idosas e doces do nosso projeto.

Rajinha é um das gatas mais idosas e doces do nosso projeto.

Olá amigos!

Nossa última rifa foi ganha pelo Nevio Vianna, que decidiu doar o prêmio para nova arrecadação. Veja a mensagem que ele nos enviou:

“Oi, Mayena. Que excelente notícia! Gostaria que você comunicasse as pessoas que compraram a rifa que estou doando a cesta para que seja feita uma nova rifa para que possamos levantar mais dinheiro para o Bicho no Parque.”

O vencedor da rifa doou a cesta para nos ajudar. (Clique para ampliar a imagem)

Nevio Vianna, vencedor da rifa, doou a cesta para nos ajudar. Para ver os detalhes de como participar da nova rifa, clique na imagem.

Esta doação vem super a calhar, já que tivemos um imprevisto com uma gatinha do parque, a nossa querida Rajinha, uma gatinha idosa e que mora sozinha em uma árvore. Há uns 3-4 meses, achamos que ela estava magra e a levamos para fazer exames. Tudo normal, a não ser que ela é FIV+, ela tem o vírus da imunodeficiência felina. Voltou para o seu lar e estava bem e feliz. Há umas três semanas, de repente, não quis mais comer – o que é uma raridade, já que a Rajinha sempre foi uma devoradora de ração e de sachê.

Ela foi levada para a clínica Lar Dog’s, nossa parceira, e inicialmente diagnosticada com rinotraqueíte, o que pode tirar totalmente o apetite de gatos, já que eles cheiram antes de sentir o gosto. Em um dos exames de acompanhamento, foi detectada uma obstrução no intestino e ela foi operada de urgência. O tecido retirado foi para análise e o resultado foi que ela tem linfoma, como provável consequência da FIV. A rinotraqueíte sarou e agora ela está sendo tratada do linfoma. Queremos que ela tenha uma boa qualidade de vida nos tempos finais dela.

Se você não puder colaborar comprando números, por favor, divulgue e compartilhe junto aos seus contatos. O Bicho no Parque precisa refazer seu caixa, que abaixou muito com o episódio da Rajinha.

Obrigada a cada um de vocês que nos ajuda em nossa missão!

Um abraço!

Mayena


SOS Vet: ajude-nos a custear a cirurgia da Rajinha

Rajinha é um das gatas mais idosas e doces do nosso projeto.

Rajinha, uma das gatas mais idosas e doces do projeto, se recupera após cirurgia.

A nossa doce e idosa princesa Rajinha nos deu um susto. Não aparecia para comer e depois foi encontrada bastante debilitada. Foi internada com suspeita de rinotraqueíte e, após os exames, foi descoberta uma obstrução intestinal. A cirurgia era emergencial e foi feita no mesmo dia, sábado 17/5. Agora está melhor, em recuperação, mas já está ronronenta e carinhosa como sempre.

Os gastos ficaram altos e nossa última rifa vai ajudar a cobrir parte das despesas. Se você quiser ajudar a Rajinha, doando qualquer valor, entre em contato conosco! Toda ajuda é muito bem-vinda. Escreva para: bichonoparque2013@gmail.com


Emanando amor para dois amigos que partiram

Andarilho e Jaguar, vamos sentir saudade de vocês!

Tão amados… Vamos sentir saudade de vocês…

Por Renata Del Nero

Hoje as notícias não são boas. Pedimos desculpas por demorar a dá-las, mas nós, voluntários, ainda estamos recuperando-nos do choque que foi perder dois gatinhos tão amados no mesmo dia.

O Andarilho, gatinho que vínhamos cuidando com tanto carinho, morreu. Ele estava com anemia grave, infecção e icterícia, ficou um período internado e depois foi para a casa de uma voluntária para continuar o tratamento, e realmente vinha melhorando bastante. Mas depois de aproximadamente um mês de cuidados e muito amor, seu quadro piorou muito e rapidamente.  Voltou ao hospital, onde ficou internado por mais uma semana, mas sua situação piorava dia a dia até que numa sexta-feira, 6 de setembro último, ele morreu.

Enquanto o Andarilho ainda estava em tratamento houve outra emergência, desta vez com nosso amado Jaguar. Quando o resgatamos chegamos a ter dúvidas se ele realmente ainda estava vivo, tão ruim era o estado de nosso querido. No hospital foi diagnosticada uma subluxação cervical (por ter sofrido algum violento trauma). Ele não andava e tinha perdido o controle da bexiga, tinha dor, infecção urinária… Mas dia a dia o bichinho vinha incrivelmente se recuperando. Primeiro foram os movimentos, depois passou a ficar um pouco em pé, a dar uns passinhos, readquiriu o controle da bexiga. Apresentava uma melhora ainda superior àquela que o mais otimista poderia esperar.

Deixou o hospital e continuou o tratamento na casa de outra voluntária. Por todo esse período ficou muito bem e foi uma fofurice só. Num retorno, foi feito um ultrassom para se avaliar a situação da bexiga, quando se observou bastante líquido no tórax (devido ao trauma), situação que surpreendeu a todos. Precisava-se drenar na hora e havia risco. O procedimento foi feito, e nosso pequeno Jaguar não resistiu. Assim, de repente, ele se foi. Um choque. E foi neste mesmo dia, algumas horas depois, que o Andarilho nos deixou.

A tristeza ainda é muita.

Resta-nos a certeza de que não medimos esforços, carinho, atenção e cuidados para o bem desses dois anjinhos, e que no período que tivemos o privilégio de conviver com eles houve uma intensa troca de amor; fica ainda nossa gratidão por ter convivido com seres tão especiais…


SOS Vet: ajude o gatinho Andarilho

Por Renata Del Nero

O Andarilho está precisando muito da sua ajuda!

Este é o Andarilho, gatinho assistido pelo Bicho no Parque. Percebemos que ele havia perdido peso, que não estava bem, e o levamos a uma clínica. Foram constatadas anemia grave, infecção e icterícia (que pode indicar lipidose hepática causada por falta de alimentação). Também havia ferimentos pelo corpo, principalmente em suas patinhas. Ele permaneceu internado por uma semana, sem muita melhora.

Foram feitos todos os exames necessários, mas ainda não se fechou um diagnóstico. Desconfia-se de micoplasmose, uma doença causada por uma bactéria que é transmitida por pulgas. Ele está em LT agora com uma de nossas voluntárias, recebendo todos os cuidados e muito carinho, e começou a melhorar! 🙂

Ele agora está se recuperando com a ajuda de uma voluntária

Houve muitos gastos e precisamos de ajuda para bancar o tratamento. Quem puder nos ajudar, por favor, pode fazer depósito na conta da voluntária Mayena (o Bicho no Parque ainda não tem uma conta, por isso usamos a conta de uma voluntária):

Itaú
Ag 0390
CC 01484-3
(Após o depósito, pedimos, por favor, que envie email para mayena@bol.com.br avisando sobre a doação para o Andarilho.)

Qualquer quantia doada é muito bem-vinda! Agradecemos muito todos que puderem contribuir. Abaixo postamos os recibos das despesas.

internacao e exames Andarilho medicamentos Andarilho