Marie devolvida…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pois é… A gente festeja com o coração cheio de alegria quando um gatinho, sobretudo adulto, ganha uma família. Mas às vezes não dá certo, e o mesmo coração que não cabia em si de alegria fica tão pequeno que parece querer implodir. A adoção da Marie infelizmente não deu certo e ela precisa de uma nova chance.

Marie é uma gatinha linda e charmosa de aproximadamente 2 anos. Foi encontrada pelo Bicho no Parque  em estado gravíssimo de anorexia e lipose. Foram meses de cuidados intensos, terapia do amor e muitas colheradas de carinho na casa da tia Rê pra conseguir reverter o quadro. Totalmente recuperada, foi adotada em agosto, mas devolvida quase 3 meses depois.

Nossa meninota não é uma gatinha qualquer. Sua história é prova disso: Marie é uma gatinha forte e destemida, que quis muito viver! Apesar de ser muito carinhosa, tem personalidade forte e não sai mostrando a barriguinha pra qualquer um. É preciso conquistá-la e fazê-la se sentir segura. E como outros gatos são fonte de insegurança pra ela, Marie prefere ser sozinha e ficar entre humanos.

Marie precisa de alguém tão especial quanto ela. Alguém com um cantinho sossegado e que possa lhe dar muito amor e carinho. É você esta pessoa? Você conhece alguém assim? Nos ajuda a encontrar uma família especial pra Marie?
Está castrada, vacinada, é negativa pra Fiv/Felv. Contato com Renata: renatadelnero@gmail.com | 11 9 9157 3773

Anúncios

Bicho no Parque em festa!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Há muitos gatos lindos, dóceis, fofos e ronronentos vivendo no parque. Foram abandonados ali e, apesar de mansos, são adultos ou mesmo idosos e por isso é muito difícil encontrar alguém disposto a adotá-los apesar de nossos esforços.

Entretanto, no mês de agosto conseguimos adoção para nada menos do que 3 gatos adultos que viviam no parque, dentre os quais um preto! Nem precisa explicar porque estamos em festa, né?

A Puminha foi uma das sortudas que ganhou uma família amorosa. Ela é uma siberiana linda que havia sido abandonada no começo do ano. Quando a encontramos, estava assustada e faminta, sem entender o que estava acontecendo e tentando se achar naquele lugar desconhecido. Puminha foi castrada pelo Bicho no Parque e passou a receber os mimos diários dos voluntários do projeto. Apesar de estar bem, alguns de nós nos preocupávamos com ela. A vida no parque parecia estar deixando nossa Puminha mais arredia e desconfiada com o tempo.

Foi então que o Ralf e seu filho, ambos frequentadores do parque, se encantaram pela princesa. Eles passaram a levar sachês e patês para a Puminha no parque, até que um dia, pra nossa grande alegria, decidiram levá-la pra casa.

Nossa lindinha tirou a sorte grande: agora tem uma casa e uma família amorosa pra cuidar dela. Vejam as fotos que ela manda, como está linda e feliz!

Como a Puminha, o Noir, a Nina e a Maluzinha também ganharam famílias em agosto. Mas ainda há muitos outros gatinhos que esperam no parque pela sua vez de tirar a sorte grande.

E você, não quer adotar um bigode carente? Temos certeza de que existe um bigode especial esperando por você no parque. Basta conhecê-lo

Para adotar um dos gatinhos que estão à espera de um lar no parque: samanthafederici@gmail


Notícias do Leão (Lion) e da Marie

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quem acompanhou os casos do Lion e da Marie sabe que são histórias comoventes e inesquecíveis, não é mesmo? Como não se lembrar do pequeno “guerreiro” que foi resgatado e submetido às pressas à uma cirurgia? E a Marie, encontrada à beira da morte, um caso grave de desnutrição e, pra piorar, com um quadro de lipidose hepática difícil de reverter?

No caso do Lion, seria necessária uma segunda cirurgia, no fêmur, quando ele fosse maiorzinho. Por isso, tivemos que optar entre esperar a realização da segunda operação e ver suas chances de ganhar uma família reduzidas, pois ele já seria um adolescente até lá, ou buscar alguém especial que topasse adotá-lo sabendo que ele faria uma nova cirurgia. Optamos pela segunda alternativa, apareceu a Patrícia, o Lion virou Leão e ganhou 3 irmãos-bigodes.

Mas isso vocês já sabiam, não é mesmo? O que vocês não sabem ainda, é que o Leão já fez a segunda cirurgia, para correção da cabeça do fêmur, já teve alta e passa super bem com sua família! Vejam as lindas fotos que recebemos, pra matar as saudades o pequeno!

Quanto à nossa fofolete Marie, depois de longos meses de tratamento com medicamentos e uma terapia intensiva de amor e carinho no lar temporáreo da tia Rê, a Marie teve alta, já com um adotante interessado! Um amigo da veterinária que tratou dela se encantou pela fofucha e pediu para que a reservássemos até que ele acertasse uns detalhes para poder recebê-la em casa. Marie segue para sua nova e definitiva casa nos próximos dias!

As histórias da Marie e do Leão são de tirar o fôlego! Queremos agradecer a todos vocês que nos ajudaram nestes dois casos, pois só conseguimos ajudar os gatinhos quando vocês nos ajudam!

Caso desejem continuar ajudando o Bicho no Parque, nossa conta corrente segue abaixo. Além dos cuidados veterinários, o valor que recebemos é usado para alimentar diariamente os 140 gatos que vivem no parque:

Bco Itaú, agência 3170, conta-corrente 03203-5 – Renata Lopes Del Nero

Não se esqueça de enviar um e-mail para renatadelnero@gmail.com confirmando sua transferência para que possamos identificá-la.


Notícias do inesquecível Lion

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quem não se lembra do Lion, nosso pequeno guerreiro “amarelinho”? Lion comoveu um montão de gente com a sua história e deixou muitas saudades em todos nós, não é mesmo? Mas como a gente se esforça pra fazer contos de fadas se tornarem realidade, conseguimos uma adoção dos sonhos pra ele!

Lion, agora Leão, foi morar na casa da Patrícia, onde  vive com seus 3 irmãos: o Calvin, o Haroldo, e o Fidel.  Ele se integrou super bem à família, adora fazer festa e brincar com os irmãos, e corre pra receber as visitas na porta da casa… Muito fofo e simpático, não? E ainda por cima, continua ronronento e carinhoso, daqueles que adora um colo e  ainda tenta mamar na sua roupa. Podem babar e matar as saudades com as lindas fotos do fofucho na casa nova. 🙂

A Patrícia, mamãe desta turma toda, é uma querida que não apenas se encantou com o pequeno, como foi o caso de muita gente, mas foi corajosa e não desistiu dele quando soube que ele teria que passar por uma segunda cirurgia. Apesar de ser uma cirurgia simples e necessária pra ele não sentir dor quando crescesse, muitos acabaram desistindo por conta disso. Por falar em segunda cirurgua, “Leãozinho” deve ser operado no final do mês, e já temos o suficiente para ela (vocês se lembram que o Bicho no Parque arcaria com ela, certo?).

De coração, queremos agradecer a Patrícia, por ter dado um final feliz ao Lion, e a todos os tios e tias que acompanharam a historinha dele e ajudaram com doações. Este conto de fadas foi escrito graças a cada um de vocês!

Seja feliz, Leãozinho. Um beijinho carinhoso dos tios e tias do Bicho no Parque


Belinha: meses de espera…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Atualização: Belinha foi adotada dia 14/07 e logo deve mandar notícias

Em meados de maio um resgate inesquecível marcou nosso cotidiano: retiramos uma gatinha linda de uma laje sem saída – uma história que emocionou a todos nós. Foi assim que Belinha chegou ao Bicho no Parque e ganhou uma segunda chance de ser feliz, ter uma casinha, cama quentinha e uma família bem bacana.

Recuperada do estado frágil em que chegou, Belinha se mostrou uma gatinha dos sonhos! Além de ter uma pelagem maravilhosa, cinza e branca, ela é toda delicada, mignonzinha, carinhosa… um anjinho mesmo! E como se não bastasse tudo isso, é uma filhotona brincalhona e feliz. A missão de encontrar uma família para ela parecia tarefa simples. Afinal, quem resistiria a uma gatinha tão encantadora?

Só que passados quase 3 meses, Belinha ainda espera sua tão sonhada família…. 😦

Belinha já teve 2 adotantes interessados que acabaram desistindo de adotá-la. Passou vários sábados na feirinha, numa gaiolinha, vendo uma porção de gente entrar e acabar adotando filhotinhos, com os quais ela, já maiorzinha, não pode competir. E ela ali, quietinha, esperando a adoção que não chega….

Durante este tempo todo, a gente se pergunta porquê ninguém dá uma chance pra uma gatinha linda, saudável, comportadinha, feliz, carinhosa e tantos outros adjetivos… Ela não merece, só porque não é mais uma bebezinha, não ganhar sua família de conto de fada, vocês não acham? Então, viemos aqui fazer um pedido a todos vocês: que tal nos ajudarem a encontrar um lar pra Belinha? Se vocês não podem adotá-la, que tal compartilharem e nos ajudarem a divulgar?

Belinha está em São Paulo. Para adotá-la, escreva para aline@forsthofer.com.br


Inclusão Animal: Wendy, a filhote com 3 patinhas, apresenta sua família

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vocês se lembram do caso de uma filhote especial que não tinha uma das patinhas da frente e foi abandonada com sua mãe e dois irmãozinhos? (…) Felizmente, todos eles tiveram a sorte de ganhar um lar, sendo que a Wendy foi adotada pela minha querida amiga e companheira de trabalho voluntário, Gabriela Dayan. Ela está apaixonada pela nova integrante da família!

Confira o depoimento

“Eu estava viajando quando fiquei sabendo que tinham achado a ninhada. Fiquei pensando no filhote deficiente, que eu achava ser machinho. Achei que iria sobrar ou, na melhor das hipóteses, que seria adotado por alguém tranquilo e mais idoso, já que o gatinho – por ter apenas três perninhas – não poderia brincar muito.

Por outro lado, me peguei pensando que seria muito bom ter mais um animal em casa pra fazer companhia pro meu gato Edu. Mas ao mesmo tempo ficava apreensiva de ter um filhote com uma patinha a menos, pois tenho também a Gretta Maria, uma bull terrier fofa, mas meio “truculenta” em suas brincadeiras.

Descobri que o gatinho era na verdade fêmea e pensei que seria uma ótima companhia pro Edu. Foi assim que resolvi tentar a adaptação e a Wendy chegou em casa! Ela ficou três dias isolada no meu quarto para se acostumar com o ambiente, assim como mandam os livros e especialistas, já que ela estava insegura e fazendo “fus” pra tudo.

Depois de tentar a socialização sem sucesso, até pensei em desistir, mas já estava apaixonada pela carinha fofa da Wendy!

Após quatro xixis errados (na minha cama!), resolvi soltá-la com meus outros animais. Trabalhei com dor no coração, mas ao chegar em casa percebi que ela estava bem, o Edu não largava mais dela e a Gretta Maria, minha bull, levava os brinquedos para brincarem juntas, bem coisa de “menina”, sabe?!

No final, Wendy & Edu viraram um casalzinho inseparável. Eles falam uma língua alienígena o tempo todo e eu e minha dog ficamos boiando nas conversas e brincadeiras dos dois!

Para minha surpresa, a Wendy é muito levada, escala tudo e chora quando só o Edu consegue chegar aos locais mais altos! Tudo que ele faz, ela quer fazer também, dormem juntos, conversam…  Como diz o veterinário: “você falou pra ela que ela não tem uma perninha? Então… Ela não sabe!”

Amo meus filhotes e a Wendy é tão apaixonante que está conquistando até o coração da minha mãe, que nunca foi gateira! Estou muito feliz que a família cresceu!”

Curtiu a história? Inspire-se!

Há muitos bichinhos com necessidades especiais esperando adoção! Pense com carinho. Faça a diferença no mundo!  ; )

Vídeos da Wendy: a espoleta

Ela começa a brincadeira com certa timidez:

Aqui ela ganha confiança e fica mais ousada:

E nesse vídeo você vê que ela é ligeira pra brincar, pular, correr – como todo filhote!


Belinha e Marie buscam um lar

Este slideshow necessita de JavaScript.

Atualização: Belinha foi adotada no dia 14/07. Marie teve algumas complicações mas já está quase 100% e em breve estará disponível para adoção.

Belinha tem por volta de 1 ano e meio, é branca e cinza. Marie tem a mesma idade e é uma rara tricolor. Belinha e Marie têm muito em comum além da idade: as duas são super amorosas, ronronentas, dóceis, e possuem uma linda pelagem. Apesar disso, ambas foram abandonadas e estiveram entre a vida e a morte antes de serem resgatadas pelo Bicho no Parque. E agora, precisamos encontrar um lar para cada uma delas. Tanto uma como a outra já estão castradas.

Se elas fossem filhotinhas, seriam facilmente adotadas! Mas elas já são crescidinhas e por isso micam nas feirinhas de adoção – apesar de lindas, não podem competir com filhotinhos fofos. Então a gente resolveu fazer uma grande campanha pela adoção delas, pra ver se alguém se encanta e abre seu coração. Acreditem, elas têm tudo que um filhote tem, menos o tamanho!

Apesar de adultas, as duas são filhotonas e por isso, continuam brincalhonas e curiosas… Aliás, isso é uma coisa que gatos não perdem mesmo velhinhos! São tranquilas, quietinhas e adoram a companhia dos humanos. Então, se você quer uma gatinha pra ficar no seu colo enquanto você assiste TV, achou!

E se você ainda não se convenceu que adotar um gato adulto é tudo de bom, veja algumas vantagens que os adultos têm frente aos filhotes: eles são mais calmos e não precisam gastar tanta energia, já tomaram todas as vacinas e só precisam renová-las 1x no ano, são mais independentes e “comportados” pois já fizeram todas as artes possíveis quando eram filhotes. E por aí vai….

Vocês sabem, o Bicho no Parque não possui abrigo e o foco do projeto não é a adoção de gatos, sobretudo de gatos adultos. Trabalhamos para cuidar de gatos abandonados no local onde eles foram deixados. Não temos condições de fazer mais do que isso. Mas estas gatinhas são muito, mas muito dóceis e ronronentas, e por isso estamos fazendo um esforço excepcional por elas.

Por favor, nos ajudem com estas fofuras. Temos pouco tempo para encontrar um lar para elas. Divulguem entre os seus contatos e nos ajudem a encontrar famílias para as belezuras.

Interessados, escrever para samanthafederici@gmail.com