Voluntariado: Mayena Buckup relata experiência no Bicho no Parque

Além de alimentar 130 gatos duas vezes por semana, Mayena Buckup tem atuado para evitar a superpopulação felina e o problema do abandono.

Por Mayena Buckup

“Desde maio deste ano, sou uma das alimentadoras dos gatinhos do parque em duas manhãs na semana.  Assumi também o acompanhamento na captura dos animais que ainda têm que ser castrados – atualmente são por volta de 20. Parece bastante, mas perto dos mais de 130 que lá moram, estamos no caminho!

Funciona assim: no dia anterior, os gatinhos devem receber menos alimentação (eu mesma me empenho nessa tarefa para ter certeza de que de fato ganham pouca comida), assim na hora da captura fica mais fácil, pois, com fome, entram nas armadilhas com mais facilidade.

Ah! É o Centro de Controle de Zoonoses o responsável por este assunto. Estamos nos encontrando todas as quartas-feiras de manhã e saímos em busca dos gatinhos que ainda não foram castrados. A minha função é atraí-los, pois me conhecem e confiam em mim e, de verdade, me sinto uma traidora, mas sei que é para o bem deles. Na sexta-feira seguinte, eles são devolvidos ao Parque no mesmo local onde vivem. Eu saio do Parque às quartas-feiras com aquele maravilhoso sentimento de dever cumprido.

Dependendo do seu perfil, alguns deles ficam no CCZ para serem encaminhados para adoção. Eu sempre tive uma péssima impressão do CCZ, com aquela coisa de eutanásia, superpopulação nos gatis e canis, maus tratos, etc. Bom, achei que não adiantava nada ficar só na impressão e decidi ir lá pessoalmente, de surpresa.

Fui super bem recebida, fiz um tour por todas as instalações, inclusive gatil e canil (bem espaçosos, por sinal) e até estábulos – tinha uma égua com potrinho bem novinho. Saí de lá com uma excelente impressão e de alma mais leve.  Recomendo a todos que têm esta impressão pesada de como o CCZ era antes que façam uma visita. É surpreendente e inesperado o que nos aguarda na Rua Santa Eulália, 86 (Santana).

O Bicho no Parque tem uma parceira, a Cris Frate, protetora independente que recolhe, acolhe e medica bebês gatos abandonados. Eles só ganham ração super premium e são pra lá de paparicados e mimados. Depois que eles se recuperam, são encaminhados para adoção, através da imensa lista de contatos da Cris.

Também estou bastante envolvida com o trabalho da Cris e tento ajudar no que me é possível. Passar umas horas com esses gatinhos é muito melhor do que qualquer terapia e eles ficam muito felizes e agradecidos pelo carinho e atenção recebidos.

Visite o blog da Cris e fique babando pelas coisas lindas que lá estão http://adoteummiau.blogspot.com.”

"Passar umas horas com esses gatinhos é muito melhor do que qualquer terapia", conclui Mayena.

Anúncios

One Comment on “Voluntariado: Mayena Buckup relata experiência no Bicho no Parque”

  1. mel14062008 disse:

    Oi Mayena, eu também alimento todas as noites os gatinhos de um parque, lá o abandono é muito grande.
    É uma luta muito grande,pois a ONG ( Balaio de Gatos ) que cuida dos gatinhos é mantido por um pequeno grupo de pessoas que tiram dinheiro de próprio bolso para manter os gatinhos.
    Gostaria de saber o que posso fazer para divulgar mais essa ONG, eu já fiz um blog e gostaria de fazer um calendário para deixar em pets.
    Parabéns pela sua atitude de alimentá-los.
    Se puder me informar onde foi feito o calendário eu agradeceria muito, gostaria de fazer para o Balaio de Gatos também.
    bjs.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s