Josefina recebe atendimento veterinário e aguarda adoção

Josefina teve uma infecção no rosto, mas já está se recuperando.

Semana passada levamos um susto com a Josefina que mora no parque. A voluntária Najla avisou o grupo que a gatinha estava com o rosto muito inchado e sangrando. Felizmente a voluntária Cris Andrighetti conseguiu pegá-la e levou-a ao veterinário. Neste momento, ela se recupera na casa da voluntária Aline Forsthofer e logo estará bem.

Josefina recebe atendimento vet da Dra Liliana Camargo.

“A Jose apresenta um infecção discreta, mas já estamos tratando com o pentabiótico. Teremos q repetir o exame na semana que vem para avaliar se será necessário continuar com antibiótico oral ou não”, explica a veterinária Liliana Camargo.

Moro no parque e amei ter uma caminha! Quem sabe um dia serei adotada?

Adoção Especial

Estamos em busca de uma adoção super especial para as gatinhas Josefina e Angelina, pois ambas possuem problema renal que requer cuidados no dia a dia. As gatinhas são muito dóceis, femininas e tranquilas. Se você conhecer alguém sensível, que queira ajudar os animais que mais precisam de ajuda, divulgue esses casos!

Fofa Demais: "adoro carinho na minha barriguinha!"

A fofa da Angelina também tem problema renal. Por isso, estamos em busca de uma adoção especial para ela.

Ajude-nos com adoção, divulgação, doações ou apadrinhamento. Essas gatinhas precisam de ração especial e cuidados periódicos no veterinário. Toda ajuda – de qualquer valor – é muito bem-vinda! Ainda temos várias parcelas do tratamento das gatinhas para pagar. Se quiser dar uma mãozinha pra gente, escreva uma mensagem aqui no blog. A gente super agradece!

Anúncios

SOS Vet: Angelina recebe tratamento veterinário

Sempre dengosa, Angelina recebe visita de voluntárias no hospital e retribui carinho ronronando.

A Angelina é uma das gatinhas que vive no parque. Há poucos dias, sua boca ficou cheia de feridas, pus e ela parou de comer e beber. A voluntária Aline Forsthofer levou-a ao hospital veterinário e descobriu que ela estava com insuficiência renal e anemia. Com o tratamento, felizmente, o quadro geral dela está melhorando. Ficamos felizes de saber inclusive que ela voltou a comer sozinha!

A Aline e a Renata Del Nero foram visitá-la no hospital – a Angelina ficou feliz de rever a turma do Bicho no Parque e retribuiu o carinho ronronando. Uma fofa!

Se você quiser ajudar no tratamento da Angelina, entre em contato conosco. Doações de qualquer quantia são muito bem-vindas.

Vamos torcer para que essa fofura se recupere logo. Em breve, daremos notícias sobre a saúde dela.


Curada, Lolita retorna ao parque

Lolita recebe carinho antes de voltar ao parque

Postamos há algumas semanas sobre a gatinha Lolita que estava com necrose em uma ferida no pescoço. Após receber atendimento veterinário e passar por período de tratamento na casa da voluntária Aline Forsthofer, Lolita finalmente se recuperou e foi devolvida a seu habitat natural. “Estou com a Wally e nós duas ficamos emocionadas com a alegria de ver a Lolita sendo solta. Ela correu muito, parecia que queria reconhecer tudo e todos. Enfim, mais uma missão cumprida!”, descreveu Aline.

Quando foi resgatada, Lolita estava em situação crítica. Mas isso é passado! Felizmente ela se recuperou e está curada.


SOS Vet: ajude no tratamento da Lolita

Vamos ajudar a Lolita se recuperar de uma necrose no pescoço.

Há cerca de um mês, a voluntária Natalia Cadur nos informou de uma gatinha com um ferimento feio no pescoço. Tentamos resgatá-la diversas vezes, mas por ser arisca, ela sempre fugia. Estávamos empenhadas dia após dia em pegá-la para levar ao veterinário, até que finalmente a Aline Forsthofer e a Wally conseguiram! Foi a melhor notícia que tivemos nesse feriado de Páscoa.

Lolita recebe atendimento no hospital veterinário.

“Estou muito feliz de poder avisar que a Wally e eu conseguimos pegar a gatinha machucada esta noite. Eu a levei para o Hospital Sena Madureira e ela vai ficar internada por 24 horas para receber todo o tratamento que precisa. A ferida estava com necrose, mas ela vai ficar boa!”, escreveu Aline para as voluntárias do Bicho no Parque.

Se você puder contribuir com qualquer quantia para o tratamento da fofucha, agradecemos muito!

As voluntárias estão fazendo um vaquinha com recursos próprios para bancar o tratamento que totalizou R$ 947, mas ainda precisamos de ajuda. Se você puder doar qualquer valor e ajudar a gente a divulgar este caso, ficaremos muito gratas. Para pegar dados bancários para depósito, basta escrever um comentário via blog que mandaremos as informações para você por e-mail.

Manteremos vocês informados sobre a saúde da mocinha que está se recuperando na casa da Aline até a ferida cicatrizar.

Comprovantes do Tratamento


Fofurice: siamesa resgatada tem oito lindos filhotes

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Liliana Camargo, veterinária do projeto Bicho no Parque, resgatou essa linda gata que teve oito gatinhos. Apesar de serem recém-nascidos, vamos começar a divulgação para que todos sejam adotados daqui a algum tempo. Interessados em adotar filhotes e/ou a mamãe-gata, podem escrever comentário aqui no blog ou mandar e-mail para: lilianasaruman@hotmail.com

Divulgue a causa. As fofuras estão à espera de adoção.

Clique para ampliar a foto desejada:

Final Feliz

Ficamos sabendo nesta semana que todas essas oito fofuras e a mãe dos gatinhos foram adotados! Que alegria!


Filhote cinza resgatado passa por cirurgia e será adotado!

Lindo!

Guna é atendido pelo Dr July

Nos últimos dias, resgatamos um gatinho cinza filhote abandonado com a pata quebrada, provavelmente vítima de maus tratos. Apelidado de “Guna”, o gato foi levado a um especialista veterinário, o Dr. July, que o atendeu com muito carinho. A cirurgia da patinha aconteceu ontem e agora o filhote se recupera sob os cuidados da Renata Del Nero que, em breve, vai mandar foto de como ele está pra eu postar aqui no blog. E o melhor de tudo: a história tem final feliz! O designer voluntário do Bicho no Parque resolveu adotar o gatinho. Imagine como ficamos felizes!

Filhotinho: o pequeno Guna ainda cabe na palma da mão


Cães sem coleira: uma ameaça aos animais e às pessoas

Teco é levado para atendimento veterinário

Já avisamos as autoridades locais, mas o incidente continua acontecendo. Temos presenciado cães soltos sem coleira na área de atuação do nosso projeto. No último mês, por exemplo, a própria voluntária Aline Forsthofer correu risco ao defender a gata Rajinha de um ataque de pitbul que estava sem coleira. Num exemplo de conduta irresponsável, o dono andava calmamente de bicicleta sem se preocupar com os riscos do cachorro atacar animais e pessoas.

Diversos gatos apareceram com a pata ferida, a exemplo do gatinho que as meninas apelidaram de “Teco” (e eu apelidei de “Olívio” por parecer com minha gata Olívia). Depois de um resgate difícil pelo fato de ele ser arisco, o Teco passou por três veterinários que indicaram, infelizmente, a amputação da patinha devido ao comprometimento geral. A voluntária Renata Del Nero o levou para sua casa, cuidando dele com muita atenção e carinho. Enquanto isso, já tinha até conseguido adoção, pois meu pai havia ficado sensibilizado com a questão da dificuldade de locomoção no pós-cirúrgico.

No entanto, o coraçãozinho dele parou de bater depois da cirurgia. Ele partiu ainda anestesiado… Foi muito triste para nós…

…Mas preferimos acreditar que o Teco se tornou um “anjo-gato-da-guarda”

Fica aqui o registro do nosso carinho super especial pelo Teco que – mesmo em seu momento de dor – foi tão querido e cativante. Que ele esteja no paraíso junto a todas as divindades da Criação… Onde quer que seu espírito esteja, receba todo nosso amor, fofucho…